CLAREAMENTO DENTAL


CLAREAMENTO DENTAL

O clareamento dos dentes é um procedimento bastante requisitado por rejuvenescer e embelezar o sorriso.

Existem duas técnicas que podem ser empregadas para o clareamento: clareamento doméstico ou caseiro e clareamento assistido ou “de consultório”.

CLAREAMENTO DOMÉSTICO

O clareamento doméstico é feito pelo próprio paciente, em casa utilizando um dispositivo individual confeccionado pelo cirurgião dentista, que se encaixa perfeitamente nos dentes e que é preenchido com o gel de clareamento.

Leva de dez a quinze dias com uma aplicação diária de gel por cerca de duas horas. Pode ser utilizado durante à noite.

É seguro e eficaz, porém está contraindicado para pessoas com dentes sensíveis, uma vez que o gel atinge raízes expostas e gengivas.

CLAREAMENTO ASSISTIDO (Clareamento a Laser)

O clareamento assistido, feito em consultório, também conhecido como clareamento a laser, é feito pelo profissional, com total controle sobre a área de atuação do gel clareador, evitando- se que esse gel atinja áreas de retração gengival onde a raiz dental está exposta e também gengivas delicadas.

Uma barreira é colocada, delimitando a área de atuação do gel e o efeito clareador é acelerado com a aplicação de luz VIOLETA.

O clareamento com a ativação pela luz VIOLETA veio substituir o LASER que foi utilizado por muitos anos e tem como vantagem sobre o LASER, de causar menos sensibilidade pós- operatória e também clarear sem a utilização do gel clareador.

O clareamento pela luz violeta, sem a utilização do gel clareador está indicado para pessoas com acentuada sensibilidade dental.

INFORMAÇÕES GERAIS

Ambas as técnicas não causam danos ao esmalte dental desde que o paciente siga as orientações do profissional.

O clareamento dental devolve a coloração original dos dentes que vai sendo perdida com o passar dos anos, porém não clareia mais do que a tonalidade natural.

Pode ser repetido anualmente, mas não deve ser executado com frequência exagerada. A durabilidade varia de acordo com os hábitos do paciente e pode durar de dois a cinco anos.